6 mai, 2015
Prefeito pedia diária para Recife, mas dançava guerreiro em Viçosa

1e97ceb03fbe0298a439537d671d817916c8b00c

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Victor Farias*

Prefeito pedia diária para Recife, mas dançava guerreiro em Viçosa (Crédito: Victor Farias / TNH1)

Prefeito pedia diária para Recife, mas dançava guerreiro em Viçosa (Crédito: Victor Farias / TNH1)

Em entrevista coletiva na tarde desta quarta-feira, 6, os promotores Anderson Cláudio de Almeida Barbosa, da Promotoria de Viçosa, e José Carlos Castro, do Núcleo de Defesa do Patrimônio Público, explicaram como funcionava a “farra das diárias” na Prefeitura de Viçosa, na Zona da Mata de Alagoas.

Leia mais:

Justiça afasta prefeito e secretário de Viçosa por improbidade administrativa

As investigações começaram em dezembro de 2014 e foram deflagradas após denuncias dos vereadores Jota e Micheline Toledo, de Viçosa, ao Ministério Público Estadual (MPE). Os promotores afirmaram que chamou atenção o grande número de diárias solicitadas pelo prefeito Flaubert Torres Filho e pelo seu secretário de finanças Maxwell Carnaúba Passos.

Segundo os promotores, o foco das investigações foi o exercício de 2014 para agilizar o processo, mas com as evidências das fraudes todas as solicitações de diárias estariam contaminadas. “O prefeito não tem condições de comprovar [os pedidos de diárias], as provas são contundentes, absolutamente ele não viajou nessas datas, o que contamina todas as demais diárias que ele tenha recebido, mesmo que devido”, disse o promotor José Carlos Castro.

As provas são baseadas no cruzamento das informações dos documentos fornecido pela prefeitura e a página de Facebook pessoal de Flaubert Torres. Em um dos pedidos, o prefeito solicitava duas diárias para viajar para Recife e na página da prefeitura uma foto mostrava o prefeito com os alunos da rede municipal em uma apresentação de Guerreiro, no dia 4 de agosto de 2014.

A auditoria do MPE revelou que além do prefeito e do secretário de Finanças, outros servidores públicos também receberam grandes valores em diárias. A secretária de educação Ana Paula Calazans Torres, esposa de Flaubert, e a chefe de gabinete Alexandra Barbosa Silva, juntas, receberam mais de R$ 25 mil reais.

Para o MPE o prefeito criou uma forma de remuneração paralela. “Ele recebe em média 7 mil reais líquidos da prefeitura e a média de diárias somadas foi de R$6.700,00. Em nosso entendimento com essa fraude ele reajustou o seu salário sem passar pela Câmara Municipal”, defende José Carlos Castro, do Núcleo de Defesa do Patrimônio Público.

Afastamento

A juíza Lorena Sotto-Maior, nesta quarta-feira (06), acatou os pedidos feitos pelo MPE/AL e decretou o afastamento de Flaubert e de Maxwell, além da indisponibilidade dos bens deles. O promotor Anderson Cláudio de Almeida Barbosa informou que o MPE solicitou o afastamento do prefeito não atrapalhe as investigações. O Prefeito está sendo acusado por improbidade administrativa e apropriação indébita.

*Sob supervisão da editoria

 Promotores José Carlos Castro, do Núcleo de Defesa do Patrimônio Público e Anderson Cláudio de Almeida Barbosa, da Promotoria de Viçosa (Crédito: Victor Farias / TNH1)

Leave a comment

XHTML: You can use these tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>