23 jun, 2017
Fifa critica CBF e mantém bloqueio a US$ 100 milhões de legado da Copa ao Brasil

201706231344_613a6a291fDinheiro do fundo ainda não tem data para ser liberado; situação de Marco Polo Del Nero na Justiça dos Estados Unidos é a razão do impasse

 Por Globoesporte.com/Martín Fernandez   
FOTO: Globoesporte.com

Del Nero entrega camisa personalizada ao presidente da Fifa, Giovanni Infantino

A Copa do Mundo acabou faz três anos e ainda não há data prevista para o Brasil receber da Fifa os US$ 100 milhões (cerca de R$ 333 milhões na cotação atual) a que tem direito por ter organizado o torneio. Como o GloboEsporte.com revelou em janeiro, o dinheiro do fundo de legado da Copa está bloqueado por uma decisão da Fifa. Os recursos deveriam ser usados para a construção de 15 centros de treinamento no país, um em cada Estado onde não houve jogos do Mundial de 2014.

Em comunicado enviado à reportagem no mês passado, a Fifa afirma que a CBF “não atende as necessidades reais e atuais do desenvolvimento do futebol em todo o mundo”. E diz estar, em conjunto com a CBF, “trabalhando na melhoria de processos e ferramentas de controle”. A CBF informa estar trabalhando em conjunto com a Fifa. Dirigentes da confederação esperam que uma reunião a ser realizada em Zurique no final de julho ajudem a destravar a liberação do dinheiro.

O bloqueio dos recursos está diretamente relacionado ao fato de o presidente da CBF, Marco Polo Del Nero, ser acusado de fraude e lavagem de dinheiro pelos Estados Unidos no “caso Fifa”. A assessoria da confederação diz que “não existe e nem existirá qualquer prova que o incrimine”.

A Fifa alega ser vítima no caso nos EUA, argumenta que parte do dinheiro desviado era dela e pede uma indenização milionária. A entidade foi orientada por advogados a bloquear os repasses do Fundo de Legado da Copa ao Brasil, porque não deveria dar dinheiro a entidade administrada por pessoas acusadas de participar de um esquema que teria prejudicado a própria Fifa.

Ao mesmo tempo em que nega ao Brasil esses recursos, a Fifa lava as mãos sobre a situação de Marco Polo Del Nero. O GloboEsporte.com perguntou como a entidade avalia a situação do presidente da CBF, que não viaja para fora do Brasil desde maio de 2015. A entidade respondeu:

– A Fifa colabora com as investigações dos EUA, mas deixamos as atribuições de culpa para as autoridades. Quando se trata do contato diário com a CBF […] continuamos trabalhando juntos, como fazemos com as outras 210 associações-membro da Fifa.

Desde dezembro de 2015 existe uma investigação aberta sobre Del Nero no Comitê de Ética da Fifa, que não comenta casos em andamento.

Leave a comment

XHTML: You can use these tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>