18 out, 2017
Grupo Gay cobra reativação de frente de trabalho para segurança do público LGBT

Com assassinato nesta quarta, já são 16 casos de violência contra homossexuais este ano em Alagoas

TNM/Por Enya Tenório | Portal Gazetaweb.com   
FOTO: Reprodução

Nildo Correia, presidente do Grupo Gay de Alagoas

O Grupo Gay de Alagoas cobrou a reativação do Grupo de Trabalho da Secretaria de Segurança Pública (SSP), que monitoraria os crimes contra a comunidade LGBTI no estado. Após a morte de mais um homossexual na manhã desta quarta-feira (18), os líderes pedem que providências sejam adotadas.

O corpo de Júnior de Oliveira, de 22 anos, foi encontrado com marcas de pedradas, pauladas e com disparos de arma de fogo. Este é o 16º caso de violência contra homossexuais registrado no estado somente em 2017.

De acordo com o presidente do Grupo Gay de Alagoas, Nildo Correia, em 2016, foram 334 homossexuais vítimas de violência no Brasil, sendo 21 em Alagoas. Este ano, o número de vítimas já chega a 320 no país, sendo 16 em Alagoas.

“Nós do movimento LGBTI estamos cobrando da Secretaria de Segurança Pública a reativação do Grupo de Trabalho da SSP, que servia para monitorar esses assassinatos e cobrar dos delegados responsáveis pelas investigações os resultados do caso. Nós já encaminhamos diversas vezes um ofício para o secretário pedindo a reativação do programa, mas até agora não obtivemos resposta”, explicou o presidente.

Ainda segundo Nildo, essas mortes só reforçam a necessidade de políticas mais eficientes voltadas ao público LGBTI. Segundo ele, é necessário investir mais em segurança para que eles possam andar livremente pelas ruas sem correr risco de serem vítimas de violência.

Leave a comment

XHTML: You can use these tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>