O desembargador ainda determinou que os afiliados ou não ao sindicato abstenham-se de descumprir as suas atividades regulares, as quais devem ser praticadas integralmente, na forma em que foram impostas pelo Estado.Na decisão, Celyrio Adamastor, fixou uma multa no valor de R$ 50.000,00 por dia, caso haja descumprimento.Sobre o Plano de Cargos e Carreiras que a categoria cobra, o Sindicato dos Agentes Penitenciários de Alagoas (Sindapen) disse que o plano foi amplamente discutido e aprovado pela Secretaria de Estado de Gestão e Planejamento. O prazo acordado entre o sindicato e o governo era até dia 30 de novembro.”O atual secretário de planejamento Fabrício nos garantiu que o processo do nosso PCCS e a incorporação do adicional de periculosidade estaria na Assembleia Legislativa até o dia 30 de novembro, para serem votados. Não foi cumprido. O secretário pediu mais tempo, e os agentes prolongaram a espera até o dia 04 de dezembro. Mais uma vez, o acordo assinado em ata não foi cumprido. Não é só a nossa categoria que foi desrespeitada, é a segurança da sociedade alagoana que foi novamente tratada com descaso”, disse o presidente do sindicato Kleyton Santos.