1 jan, 2018
A ‘reinvenção da roda’: como é o substituto quase indestrutível dos pneus criado pela Nasa

Pneus ideais para C.Grande foram inventados pela NASA

Foto: BBCBrasil.com

TNM/BBC BRASIL.com

Após anos de pesquisas, engenheiros apresentam roda que encara qualquer terreno, formada de malha de aço; o ‘pneu superelástico’ promete ser o futuro das rodas.

Uma liga de titânio e níquel que possui memória. Essa é a chave por trás do novo pneu que o Centro de Pesquisas Glenn, da agência espacial americana, a Nasa, revelou recentemente.

saiba mais

Músculos nos ouvidos e outras quatro coisas que nosso corpo possui e não precisamos mais
O monge ‘mais letrado do mundo’ que criou a base da computação há mais de 1,2 mil anos
O que dizem os matemáticos sobre as ditas fórmulas certeiras e dicas infalíveis para se ganhar na loteria
A ‘reinvenção da roda’: como é o substituto quase indestrutível dos pneus criado pela Nasa
Como a luta para salvar botos revelou cadeia de contaminação e doenças na Amazônia, O Superelastic Tire foi criado a partir da tecnologia utilizada nos veículos espaciais levados a Marte. | Foto: NASA Glenn. O Superelastic Tire foi criado a partir da tecnologia utilizada nos veículos espaciais levados a Marte. | Foto: NASA Glenn

Os seus desenvolvedores estão tão certos da importância da inovação que a chamaram de “reinvenção da roda”.

Mas por que ela é tão especial?

A realidade é que não há material novo nesta roda: ela é feita com uma liga de titânio e níquel que já é usada em outros objetos, como armações de óculos.

Mas ela tem sim um conceito inovador sobre o que um veículo precisa para se mover sobre rodas.
Malha tem composição semelhante à armadura usada por cavalheiros medievais

Pneus ideais para C.Grande foram inventados pela NASA

Malha tem composição semelhante à armadura usada por cavalheiros medievais | Foto: NASA Glenn BBCBrasil.com
Desde meados da década passada, pesquisadores sob o comando do engenheiro Vivake Asnani estão trabalhando em uma roda de grande durabilidade para veículos usados em missões espaciais.

Depois de anos de testes, incluindo a recente visita de um carro-robô a Marte, eles apresentaram o Superelastic Tire, o pneu superelástico.

Com esta “nova” roda, o uso da borracha e de uma câmara de ar como nos pneus clássicos que conhecemos está definitivamente descartado.
Composição do pneu permite uma maior deformação, o que prolonga sua durabilidade. | Foto: NASA Glenn

Pneus ideais para C.Grande foram inventados pela NASA

Mário Sérgio Lorenzetto

A NASA acaba de registrar uma nova patente. Desta vez não é de um foguete, mas sim de pneus. Esse novo artefato recebeu o nome de “Pneu Superelástico”, que poderá ser usado em terrenos de Marte e até mesmo em terrenos assemelhados aos marcianos, como os asfaltados de Campo Grande.
Inspirando-se na cota de malhas usadas pelos cavaleiros medievais para se defender das flechadas dos inimigos, a NASA junto com a Goodyear criaram um pneu sem ar, cuja estrutura é feita de nitinol, uma liga de níquel e titânio. Essa liga têm capacidade de memória, regressa à sua forma original após sofrer extrema pressão, resistindo à deformação permanente durante um considerável período de tempo. É o pneu ideal para atravessar terrenos com inúmeros obstáculos que normalmente causam furos e rasgos em pneumáticos comuns.

Pneus ideais para C.Grande foram inventados pela NASA
Foto: BBCBrasil.com

Malha tem composição semelhante à armadura usada por cavalheiros medievais | Foto: NASA Glenn

O belo Porsche amaldiçoado. Lendas urbanas do automóvel.

Essa é uma história tétrica em volta de um dos mais belos carros já criados pelo homem. O Porsche 550 Spyder, nos anos 50 era o objeto dos sonhos de qualquer mortal. Desde seus lançamento foi chamado de “Porsche belíssimo”.

Embora agraciado com tal epíteto, sua vendagem foi pequena devido a uma lenda aterradora. Esse é o carro em que James Dean, o artista mais famoso de seu tempo, perdeu a vida em um acidente em 30 de setembro de 1955.

Decorado com o número 130 e o nome “Little Bastard” na carroceria, o 550 Spyder de James Dean começou sua má fama com a predição e incômodo de outro ator. Alec Guinnes, outro ator famoso, viu o carro uma semana antes do acidente de James Dean e, desde logo, teve um pressentimento assustador. Esse ator britânico disse a Dean que nunca entrasse no carro ou estaria morto na semana seguinte. Guinnes foi uma ave de mau agouro. James Dean faleceu uma semana depois dentro de um Porsche 550 Spyder.

Mas o “filme de terror” não termina nesse instante.
Assustadoramente, o carro foi vendido para George Barris e viria a partir a perna de um mecânico quando caiu de um reboque ao chegar na oficina onde seria consertado. Resolveram cortá-lo em pedaços. Venderam o motor a Troy MacHenry e a caixa de transmissão a William Eschrid e foram montados em seus carros. Ambos sofreram acidentes automobilísticos sérios. O primeiro faleceu e Eschrid ficou severamente ferido. Dois pneus do carro de James Dean foram colocados em outro carro. O que aconteceu? Rebentaram simultaneamente, causando um acidente com o carro saindo da pista.

 

Leave a comment

XHTML: You can use these tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>