Ainda faltam cinco meses para o registro de candidaturas da eleição presidencial de 2018, mas o pleito já tem 11 pré- candidatos, oficialmente anunciados e outros ainda estão em negociação com partidos.Nesta sexta-feira, 08, o ex-ministro Ciro Gomes (PDT) e o presidente da Câmara de Deputados, Rodrigo Maia (DEM), foram lançados pelos respectivos partidos para concorrer à presidência da Republica.O PSDB anunciou a preferencia pela candidatura de Geraldo Alckmin. Tem ainda, o senador Álvaro Dias (Podemos), o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles (PSD), este negocia filiação ao MDB, embora a cúpula do partido vir afirmando que a prioridade é do presidente Michel Temer- que afirma que não será candidato a reeleição.

Pelos partidos de esquerda, a deputada estadual gaúcha, Manoela D’Ávila (PCdoB). A situação indefinida do ex-presidente Lula tem gerado uma fragmentação entre os partidos.

Além de Ciro Gomes, o líder do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), Gulherme Boulos, deve ter a candidatura anunciada, em breve, pelo PSOL.

A ex-ministra Marina Silva foi anunciada desde dezembro do ano passado pelo Rede. O PSL anunciou o deputado Jair Bolsonaro, que tem aparecido em 2º lugar nas pesquisas. Já o empresário João Amoêdo foi lançado pelo Novo, desde novembro.

O senador Fernando Collor anunciou recentemente que concorrerá pelo PTC, e a ex-apresentadora Valéria Monteiro foi lançada pelo PMN.

Ainda há a possibilidade do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva concorrer pelo PT. Segundo pesquisas, ele lidera a intenção de voto dos eleitores, mas pode ser impedido de concorrer com base na Lei da Ficha Limpa, devido a processos ainda em andamento.

Aparentemente, como não há um candidato forte com poder de aglutinar votos, todos os partidos resolveram arriscar uma candidatura. Diante do número de candidatados, a disputa pode ser acirrada e ter um 2º turno entre candidatos com poucos votos.

Oficialmente anunciados como pré-candidatos:

Lula (PT); Ciro Gomes (PDT); Rodrigo Maia (DEM); Álvaro Dias (Podemos); Gulherme Boulos (PSOL); Manoela D’Ávila (PCdoB); Marina Silva (Rede); Jair Bolsonaro (PSL); João Amoêdo (Novo); Fernando Collor (PTC) e Valéria Monteiro (PMN).

Em negociação com partidos:

Geraldo Alckmin (PSDB)  e Henrique Meirelles do PSDB, mas negocia com MDB;