20 jun, 2018
Aos 75 anos, morre o professor e pesquisador alagoano José Marques de Melo

Sepultamento está marcado para a manhã desta quinta-feira, às 11. Aos 75 anos, morre o professor e pesquisador alagoano José Marques de Melo, em São Paulo

TNM/Por Gazetaweb, com Portal Intercom    

Professor e pesquisador morreu após sofrer um infarto fulminante

FOTO: DIVULGAÇÃO

Aos 75 anos, o jornalista e pesquisador alagoano José Marques de Melo morreu em sua casa em São Paulo, nesta quarta-feira (20), vítima de um infarto fulminante. De acordo com familiares, ele já vinha travando uma luta há muitos anos contra o Mal de Parkinson. Os parentes informaram que o sepultamento será às 11h desta quinta-feira (21), no cemitério do Morumbi, em São Paulo.

Nascido em 1943 na cidade Palmeira dos Índios, Melo mudou-se logo em seguida para a vizinha Santana do Ipanema, de onde saiu na adolescência para estudar em Maceió e no Recife. Formou-se em Jornalismo pela Universidade Católica de Pernambuco e em Ciências Jurídicas e Sociais pela Universidade Federal de Pernambuco, durante a década de 1960, antes de se transferir para São Paulo.

Após o golpe de 64, trabalhou em publicações de Alagoas, Pernambuco, São Paulo, Brasília, Rio Grande do Sul e Rio de Janeiro. Iniciou sua carreira acadêmica ainda no Recife, em 1966, como assistente do professor Luiz Beltrão, no Instituto de Ciências da Informação da Universidade Católica de Pernambuco.

No ano seguinte, já na capital paulista, fundou o Centro de Pesquisas da Comunicação Social, mantido pela Faculdade de Jornalismo Cásper Líbero, e foi docente-fundador da Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo (ECA-USP), onde obteve os títulos de doutor em Ciências da Comunicação, livre-docente e professor catedrático de jornalismo.

Considerado um dos mais respeitáveis catedráticos de Jornalismo das Américas e um ativo militante das causas da Associação Brasileira de Imprensa (ABI), em 2015, José Marques de Melo finalmente conquistou a anistia política, recebendo adicionalmente um formal pedido de desculpas do Estado Brasileiro, por tantos anos de perseguição política pela ditadura que dominou o País de 1964 a 1985.

Em julho do ano passado, ele esteve em Maceió para participar da solenidade de entrega do Prêmio de Jornalismo Científico José Marques de Melo, onde também foi homenageado pela grande contribuição para o jornalismo do país.

Entre seus principais livros – ele escreveu 38 obras, além de coordenar dezenas de coletâneas -, estão: Comunicação Social: Teoria e Pesquisa, Estudos de Jornalismo Comparado, Sociologia da Imprensa Brasileira, A Opinião no Jornalismo Brasileiro, Comunicação e Modernidade, Fontes para o Estudo da Comunicação e Teoria da Comunicação: Paradigmas Latino-Americanos. José Marques de Melo publicou mais de uma centena de artigos em periódicos científicos, nacionais e estrangeiros, bem como em jornais e revistas de grande circulação no Brasil e América Latina.

Leave a comment

XHTML: You can use these tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>