5 jul, 2018
A miss da diversidade
Crédito: Divulgação

TNM/André Sollitto

Pela primeira vez, uma modelo trans competirá pelo título de Miss Universo. A espanhola Ángela Ponce foi eleita para representar seu país na disputa e comemorou a conquista em seu Instagram: “Meu objetivo é ser a porta-voz de uma mensagem de inclusão, respeito e diversidade não apenas para a comunidade LGBTQ+”, escreveu ela.

Em 2015 ela foi eleita Miss Cádiz, mas foi impedida de participar do Miss Mundo porque a premiação não aceitava transgêneros.

Em entrevista ao jornal “El País” ela disse que não quis se candidatar a concursos específicos, como o Miss International Queer, porque quer ser respeitada pelo que é e chamar a atenção do mundo para o preconceito que existe contra mulheres trans. “Não quero ser mais uma miss pedindo a paz mundial. Levo uma mensagem muito poderosa de tolerância e inclusão”, afirma ela. Desde 2012 o Miss Universo aceita inscrições de transgêneros, após uma polêmica envolvendo Jenna Talackova, cotada para ser a representante do Canadá da disputa, mas que acabou desqualificada.

Leave a comment

XHTML: You can use these tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>