23 mar, 2019
Barragem da Vale em Barão de Cocais está de alerta para risco de rompimento
  • FOTO: Globocop

Esta é a 2ª vez que a sirene toca por causa da barragem em pouco mais de um mês, e moradores já tinham deixado o local

 Por Portal Gazetaweb, com G1  

Barragem é do mesmo tipo da de Brumadinho, que rompeu em fevereiro e matou 210 pessoas

Na noite dessa sexta-feira (22), moradores de Barão de Cocais, em Minas Gerais, ficaram desesperados ao ouvir as sirenes nas proximidades da Barragem Sul Superior, da mina de Gongo Soco, serem acionadas. A cidade entrou em alerta máximo para o risco de rompimento de mais uma barragem da empresa Vale.

Esta é segunda vez que as sirenes foram disparadas em pouco mais de um mês, e moradores já haviam sido retirados de suas casas no dia 8 de fevereiro. O nível de segurança da barragem que estava em 2 foi alterado para 3. A Prefeitura de Barão de Cocais informou que não houve rompimento.

Em nota, a Vale informou que a medida é preventiva e foi tomada após uma auditoria independente informar à mineradora que a barragem tem “condição crítica de estabilidade”.

A orientação para a mudança do nível de alerta partiu da Agência Nacional de Mineração (ANM). De acordo com a agência, o nível 3 significa “rompimento ou risco eminente de romper”.

A barragem é do mesmo tipo da de Brumadinho, que rompeu em fevereiro e matou 210 pessoas. Outras 96 continuam desaparecidas. A estrutura tinha 12,7 milhões de m³. A Barragem Sul Superior tem 6 milhões de m³.

Área evacuada

A área mais próxima à barragem foi evacuada no dia 8 de fevereiro, após sirenes serem acionadas pela primeira vez para o risco de rompimento. Moradores das comunidades de Socorro, Tabuleiro e Piteiras, que ficam na zona de autossalvamento, foram retirados de suas casas. Cerca de 150 famílias atingidas – 452 pessoas – foram levadas para hotéis em cidades da região. De acordo com a Defesa Civil, não há ninguém em área de risco.

O prefeito de Barão de Cocais, Décio Geraldo dos Santos, afirmou na noite desta sexta-feira que os moradores que continuam na área secundária “não têm motivo para entrar em pânico”. “Não houve rompimento da barragem, mas precisam ficar alertas”, disse.

A Defesa Civil e Tropa de Choque foram deslocadas para a cidade, onde ficarão de prontidão, caso pessoas que moram na área 2 precisem ser retiradas de casa. Cerca de três mil casas estão na chamada zona de autossalvamento. No local será feito um treinamento de evacuação com os moradores no final de semana, de acordo com a Defesa Civil.

A Barragem Superior Sul está entre as dez que a Vale pretende eliminar. Ela foi construída pelo método de “alteamento a montante”. Considerado ultrapassado e menos seguro do que outras alternativas existentes, ele é o mesmo usado na construção de barragens que se romperam em Mariana, em novembro de 2015, e em Brumadinho, em 25 de janeiro deste ano.

A administração municipal defende que essas pessoas sejam transferidas para casas alugadas até que possam retornar aos seus imóveis. Defende ainda que a barragem seja descomissionada o mais rápido possível, para que os riscos sejam sanados em definitivo.

São Gonçalo do Rio Abaixo

Segundo moradores de Barão de Cocais, a sirene foi acionada equivocadamente na cidade vizinha de São Gonçalo do Rio Abaixo, onde está o maior empreendimento da Vale em Minas Gerais, a mina de Brucutu. Os moradores saíram de casa, mas já retornaram.

A Vale confirmou que simultaneamente ao acionamento das sirenes em Barão de Cocais foi disparado o sistema de alerta da barragem Sul de Brucutu, em São Gonçalo do Rio Abaixo. Mas, segundo a Vale, o acionamento foi um erro técnico. A Vale informou que não há situação de emergência na localidade e nem necessidade de evacuação.

Veja comunicado da Vale:

A Vale acionou o protocolo para início do nível 3 do Plano de Ação de Emergência de Barragens de Mineração (PAEBM) para a Barragem Sul Superior da mina Gongo Soco, em Barão de Cocais (MG), nesta sexta-feira (22/3).

Essa medida preventiva se faz necessária tendo em vista o fato do auditor independente ter informado a condição crítica de estabilidade da barragem. Com o nível 3, foi acionada a sirene de alerta que cobre a Zona de Autossalvamento (ZAS), como reforço de medida preventiva, já que a evacuação da área próxima à barragem foi realizada em 8 de fevereiro.

A Vale reitera que continua adotando uma série de medidas preventivas para aumentar a condição de segurança de suas barragens.

Importante lembrar que a Barragem Sul Superior é uma das dez barragens a montante inativas remanescentes da Vale e faz parte do plano de descaracterização anunciado pela empresa.

Veja comunicado da Prefeitura:

A Prefeitura de Barão de Cocais informa que, por orientação da Agência Nacional de Mineração (ANM), o nível de alerta da Barragem Sul Superior da Mina do Gongo Soco passou para Nível 3. A informação que temos até o momento é do toque protocolar das sirenes do Gongo, mas sem sinais de rompimento.

A Defesa Civil do Estado já está a caminho do município e a qualquer momento divulgaremos mais informações sobre as razões para a elevação do nível de alerta.

Reforçando que a Defesa Civil de Barão de Cocais já está de plantão e a postos para toda e qualquer ação necessária.

Veja comunicado da Vale sobre a barragem Sul de Brucutu, em São Gonçalo do Rio, abaixo:

A Vale informa que simultaneamente ao acionamento das sirenes em Barão de Cocais, na noite desta sexta-feira (22), foi disparado o sistema de alerta da barragem Sul de Brucutu, em São Gonçalo do Rio Abaixo.

O acionamento em São Gonçalo do Rio Abaixo foi um erro técnico. Portanto, não há situação de emergência nessa localidade e nem necessidade de que as comunidades da região seja evacuadas.

Assim que a situação foi identificada, a correção foi imediatamente feita pela área técnica.

A Vale reitera que não houve alteração no nível de segurança da barragem Sul de Brucutu e que os moradores de São Gonçalo do Rio Abaixo podem manter a tranquilidade.

COMENTE SOBRE ESTA NOTÍCIA:

Para comentar na página você deve estar logado. Este espaço visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos e que que firam a ética e a moral poderão ser denunciados, acarretando até mesmo na perda da conta. Leia os termos de uso e participe com responsabilidade.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

emailfacebookgooglepluspinteresttwitterwhatsapp

Leave a comment

XHTML: You can use these tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>