O registro de 26% de redução no número de assassinatos, nos dois primeiros meses de 2019, tornou Alagoas um dos estados que mais reduziram violência no país. Os dados foram comparados ao mesmo período de 2018. O resultado coloca Alagoas como o 8º estado do País com maior redução de homicídios no primeiro semestre, segundo o portal G1.

Já a média no país foi de 25%, conforme os dados do índice nacional de homicídios criado pelo portal G1, com base nos registros oficiais dos 26 estados e do Distrito Federal.

O governador Renan Filho afirmou que mais uma vez Alagoas dá exemplo ao Brasil e segue reduzindo violência acima da média nacional. “Nós vamos seguir assim: firmes para que a segurança pública cada vez mais se consolide como uma política efetiva que promove a paz, reduz mortes, assaltos e todos os tipos de crime que afligem a nossa sociedade”, afirmou o governador.

Seguindo a mesma tendência, a capital, Maceió, também registrou o menor saldo de homicídios nos últimos oito anos. Foram 101 mortes ocorridas no mês em todo o Estado, dois a menos que no mês de julho de 2018, menor número registrado até então.

A queda nacional é puxada principalmente pelos estados do Nordeste que, juntos, registram a redução mais significativa do número de mortes (34%). Os números divulgados pelo Portal G1 só reforçam os dados verificados pelo Núcleo de Estatística e Análise Criminal (Neac) da Secretaria de Estado da Segurança Pública (SSP).

Estudo do Neac apontou que o mês de março de 2019 entrou para a história de Alagoas com o menor número de homicídios registrados desde o início da série histórica que contabiliza os Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLI) no Estado, iniciada em 2011.

Com relação aos 138 homicídios de mês de março do ano passado, a redução foi de 26,8%.  “Ver Alagoas iniciar 2019 com o pé direito me dá mais forças para seguir trabalhando duro, todo dia, para que a gente alcance novos bons resultados. Essa é a Alagoas que vira uma página antiga, onde as coisas teimavam em não dar certo”, concluiu Renan Filho.

*Com Agência Alagoas