Cristovão Santos/CM A6def2c9 f910 4219 b045 51a4b66b93a1 Moradores do Pinheiro, Mutange e Bebedouro realizam protesto

Para Ésio Melo, representante da Unidade Popular, a Braskem é a principal responsável pelo afundamento do solo nas regiões afetadas.

Segundo Ésio, os moradores entendem que a culpada é a Braskem e ressaltou que o Governo e a Prefeitura são “cúmplices” da empresa.  “São milhares de vidas ameaçadas pela ganância da empresa. A Braskem é a grande responsável e não queremos ser refém dessa empresa que faz o que quer com o alagoano”, finalizou.

Para ele, essa situação só poderá ser revertida se houver luta e mobilização por parte da população. Ésio também comentou que os órgãos estão postergando a entrega do laudo e que a Justiça deve bloquear os bilhões da Braskem.

“Essa empresa lucrou bilhões e precisa pagar indenização já que existe uma região inteira ameaçada. São 40 anos de exploração de salgema e de impactos ambientais”.

Os moradores fecharam a via sentido Centro e seguirão até o Tribunal de Justiça de Alagoas.

*estagiário sob a supervisão da editoria