Oposição avalia que houve apologia à ditadura e crime de responsabilidade © Sérgio Lima/Poder360 11.nov.2019 Oposição avalia que houve apologia à ditadura e crime de responsabilidade Também pedem na Comissão de Ética da Presidência da República a demissão do ministro.

Os pedidos de foram protocolados pela oposição na 4ª feira (27.nov.2019). Os congressistas solicitam à Comissão de Ética a adoção de providências legais “céleres” e que avalie a ocorrência da prática de improbidade administrativa e/ou outros delitos”.

O documento afirma ainda que a manutenção de Guedes como ministro da Economia “viola os princípios da moralidade”.

Na 2ª feira (25.nov), o ministro disse em 1 Fórum em Washington que não é possível se assustar com a ideia de alguém pedir o AI-5 diante de uma possível radicalização dos protestos de rua no Brasil. O comentário foi motivado pelo suposto chamado do ex-presidente Lula para a população “quebrar a rua”, o que foi negado pelo petista.

Depois da repercussão negativa, Guedes disse à imprensa que “a democracia brasileira jamais apoiaria o AI-5″. Em outra ocasião, defendeu uma “democracia responsável”.

No fim de outubro, o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), filho do presidente Jair Bolsonaro, também citou 1 “novo AI-5” como resposta a “radicalização” da esquerda. A declaração resultou em 1 processo disciplinar na Comissão de Ética da Câmara, à pedido da oposição.

Os 2 documentos contra Guedes foram assinados pela deputada Gleisi Hoffmann (PT-PR), recentemente reeleita presidente da sigla, pelos líderes do PT na Câmara, Paulo Pimenta (RS), e no Senado, Humberto Costa (PE), e outros congressistas da oposição.