9 dez, 2019
Defensor Ricardo Melro: “A Braskem está fazendo menos do que deve”
Envolvido desde sempre com a causa dos moradores do Pinheiro, Mutange e Bebedouro, o defensor-geral do Estado, Ricardo Melro, tem sido também um dos mais contundentes críticos da Braskem, quando aborda a tragédia vivida hoje por milhares de famílias maceioenses.Mesmo neste momento em que a empresa, finalmente, resolveu adotar algumas medidas importantes para atender – realocar – moradores do Mutange, a área considerada de maior risco pela CPRM e – ao que parece – pelo Instituto de Geomecânica d Leipzig (Alemanha), Melro não deixa por menos:– A Braskem está fazendo menos do que deve. E está agindo, neste momento, não por caridade, mas porque sabe que tem responsabilidade pelo que vem acontecendo em Maceió.Para o defensor-geral, que tem participado com representante de outros órgãos públicos de várias reuniões com a Braskem, a empresa está “empurrando com a barriga uma solução que urge, pelo risco de vida de milhares de pessoas”.

Para ele, o que a Braskem anuncia para os 1.500 moradores do Mutange deve ser feito, também com todas as famílias do Pinheiro, de Bebedouro e do Bom Parto, que estão no mapa de risco já apresentado pela CPRM – na integralidade.

Melro alerta para o risco de que dirigentes da Braskem possam vir a responder criminalmente por algo mais grave que venha a ocorrer nessas áreas:

“A Defensoria e o MP estão acompanhando com muita preocupação o que acontece hoje. Mas estamos preparados para qualquer adotar as providências que nos pareçam necessárias para salvaguardar as famílias duramente atingidas”, afirmou.

Leave a comment

XHTML: You can use these tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>