Governo apresenta Matriz de Risco que vai nortear fases do distanciamento social controlado em Alagoas

De acordo com o que foi apresentado, a última semana epidemiológica - período compreendido entre os dias 14 e 20 de junho - teve a menor taxa de letalidade (que é o número de óbitos relacionado ao número de casos confirmados) das últimas cinco semanas. Foram 134 óbitos registrados, o que, pelos indicadores, significa um risco controlado.

Alagoas

O Governador de Alagoas, Renan Filho, se reuniu com secretários para apresentar na manhã desta sexta-feira (26), a Matriz de Risco que vai nortear a implementação das fases do distanciamento social controlado em Alagoas.

TNM/Redação TNH1 Por Marcio Ferreira/Agência Alagoas

De acordo com o que foi apresentado, a última semana epidemiológica – período compreendido entre os dias 14 e 20 de junho – teve a menor taxa de letalidade (que é o número de óbitos relacionado ao número de casos confirmados) das últimas cinco semanas. Foram 134 óbitos registrados, o que, pelos indicadores, significa um risco controlado.

De acordo com o governador, ainda não se pode afirmar que a partir do dia 1º de julho o estado vai avançar para a fase laranja, onde segmentos como igrejas, comércio de rua e salões de beleza e barbearias serão autorizados a abrir. “Mas já há uma forte tendência que isso ocorra, tendo em vista os indicadores. Como vai ser, e se vai ser geral ou escalonado, nós só vamos poder mostrar semana que vem”, disse Renan Filho.
“Talvez a pandemia já tenta tido um pico alto e depois começou a cair”, disse o governador. “A gente observa que há estabilização de casos, uma queda sobretudo na capital. Isso é fruto do esforço na ampliação de leitos e do isolamento social”, atribuiu o chefe do executivo.

O secretário do Gabinete Civil, Fabio Farias, que também coordena o gabinete de crise formado na pandemia, disse que todos os decretos e protocolos sanitários foram trabalhados, até aqui, exaustivamente com os diversos segmentos da sociedade, incluindo os Ministérios Públicos, Defensorias, Igrejas e segmentos esportivos. “Desde o início entendemos que não teríamos sucesso no combate à pandemia sem a participação da sociedade. Nós criamos protocolos sanitários com a participação de todos os setores, inclusive com a participação dos trabalhadores. E a orientação do governador é consolidar, cada vez mais, os três pilares do governo: ética, transparência e proximidade”, disse Fábio Farias.

Segundo o secretário, o gabinete de crise continuará no mesmo ritmo de conversa e diálogo com todos os segmentos da sociedade, de forma clara e transparente. “Continuaremos conversando, tirando as dúvidas e ouvindo”, enfatizou Farias.

A apresentação das bandeiras para transições de fases e de como se dará cada indicador foi feita pelo secretário de Estado de Planejamento e Gestão, Fabrício Marques Santos. Ele destacou os dados da última semana epidemiológica e mostrou como foram classificados. A taxa de ocupação de leitos com respiradores recebeu bandeira de risco moderado alto. Já a taxa de ocupação de leitos gerais ficou no risco controlado. Ainda de acordo com Fabrício Marques, Alagoas tem uma das maiores quantidades de leitos com respiradores a cada 100 mil habitantes no Brasil.

Mas apesar da queda na taxa de ocupação de leitos, o governador Renan Filho descartou a possibilidade de fechar os hospitais de campanha. “No interior essa taxa é superior a da capital. Por isso, nós vamos construir um hospital de campanha em Arapiraca e não há previsão de fechamento dos demais”, afirmou o governador.

O secretário de estado da Saúde, Alexandre Ayres, pontuou que todo o estudo apresentado nesta sexta-feira (26), foi feito com dados técnicos. “Nós vamos continuar analisando as semanas epidemiológicas, para que a gente possa conviver a partir de agora com a doença. Hoje, com mais de mil leitos abertos, é chegado o momento que a gente possa acompanhar esses números e avançar de fase. Com base na matriz de risco, iremos semanalmente acompanhar os dados e, em debate com a ciência e os técnicos, iremos semanalmente avaliar o avanço de fase”, explicou Alexandre Ayres.

O governador Renan Filho falou ainda que acredita que o estado possa estar vencendo a pandemia. “Estamos cumprindo mais um compromisso do governo. Na última coletiva, de anúncio do decreto, eu disse que a gente faria essa apresentação da matriz de risco. (…) A gente pode, sim, estar vencendo a pandemia, é o que eu acredito que esteja acontecendo em Alagoas”, anunciou Renan Filho.
Matriz de Risco

Conforme a matriz, a mudança de faixa está prevista a cada 15 dias e vai ocorrer de acordo com a evolução da doença. Atualmente o estado de Alagoas está na faixa vermelha e próxima etapa deve ser a laranja, a partir do dia 1º de julho.

O governador ressaltou, no entanto, que os próximos passos não são 100% seguros. “As dúvidas vão seguir conosco até que a ciência possa elucidá-las. Mas trabalhamos e construímos uma matriz com indicadores claros para nortear as nossas decisões”, disse.
“Tudo pode mudar com os repiques da doença e, se for o caso, precisaremos convocar novamente a sociedade para o isolamento”, acrescentou o governador.

Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

Veja também: