Pela primeira vez, AL tem taxa de contágio “negativa” de Covid-19?

Contrariando a lógica e recomendações, entre as quais da Sociedade Alagoana de Infectologia e do Comitê Científico Nordeste, o Estado, que deveria ter decretado o bloqueio total no final de maio ou início de junho.

Saúde Alagoas (@SaudeAlagoas) | Twitter

TNM/Edivaldo Júnior

Vencemos a pandemia? Não. Ainda falta muito para respirar aliviado. Mas Alagoas segue um caminho próprio, com resultados inesperados, que parecem desafiar as previsões.

Contrariando a lógica e recomendações, entre as quais da Sociedade Alagoana de Infectologia e do Comitê Científico Nordeste, o Estado, que deveria ter decretado o bloqueio total no final de maio ou início de junho.
O lockdown deveria evitar o colapso na rede de saúde, mas o Estado manteve tudo do jeito que estava, com grande parte dos estabelecimentos abertos.

Contrariando as previsões, sobram leitos clínicos para tratamentos de pacientes do novo coronavírus. Batemos na trave, é verdade, quando se fala de UTIs. Mas em nenhum momento a anunciada sobrecarga da rede hospitalar para atendimento de doentes da Covid-19 se confirmou.

Os índices de isolamento social continuam abaixo do recomendado. Nessa quinta-feira (2) o IIS ficou em 40,3% no Estado. Na média dos últimos dias ficamos sempre nessa faixa (veja o mapa), quando o ideal seria acima de 60%.
com a “ajuda” da fiscalização e cumplicidade da população, o descumprimento aos sucessivos decretos de “quarentena” ou distanciamento social controlado é crescente

E ainda assim, sem lockdown, com isolamento social em queda, pessoas circulando sem máscaras, com a abertura à meia porta de estabelecimentos que não deveriam funcionar e, aglomerações cada vez maiores, o Estado parece estar “vencendo” á pandemia.

Os últimos números apontam para uma queda de novos casos em Maceió e na maioria das cidades do interior. Ao menos pelos dados oficiais.

E mais um número chega para “contrariar”. Pela primeira vez desde o começo da pandemia, Alagoas tem uma taxa de transmissão do novo coronavírus (Rt) abaixo de 1.

O número de reprodução calculado pelo Covid-19 Analytics aponta que a Rt Alagoas ficou em 0,98 nessa quinta-feira (02), a segunda menor do Nordeste, atrás apenas do Ceará que ficou em 0,96 e melhor que

Maranhão (1,03) e Pernambuco (1,11), dois Estados da região que decretaram lockdown, assim como o Ceará. Em todo país, Alagoas ficou na quarta posição.

A Rt de Alagoas seria, na prática, uma taxa “negativa”. Lembrando que um para um é quando uma pessoa contamina outra ou seja, estabilidade. Acima disso uma pessoa contamina mais de um, tendência de alta. Abaixo de um, o vírus perde força, na medida em o número de contaminados cairá gradativamente até atingir zero.

Agora, o Comitê Científico Nordeste traz um novo boletim, divulgado nessa quinta-feira (2). E de novo, alegando risco de colapso na saúde, recomenda lockdown em Maceió e algumas cidades do interior. O risco agora é o “feito bumerangue”. Algo parecido com o recrudescimento ou uma segunda onda da Covid-19 em Alagoas.

Sem clima para endurecer o isolamento social, o governo de Alagoas vai seguir com o Distanciamento Social Controlado. E tudo aponta para uma flexibilização ainda maior no próximo decreto que vai entrar em vigor provavelmente no próximo dia 15 de julho.

É cruzar os dedos e torcer que Alagoas siga contrariando a “lógica”.
Veja aqui o boletim do Comitê Científico Nordeste

Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

Veja também: