Polícia italiana investiga fotógrafo após morte de modelo russa Autoridades da Sardenha suspeitam de homicídio culposo

As autoridades alegam que pode ter havido imprudência por parte do fotógrafo por não se certificar que o bote não estava ancorado no fundo do mar.

A polícia italiana iniciou uma investigação contra o fotógrafo britânico Yev Taranovs após uma modelo russa morrer afogada durante um ensaio fotográfico em um barco em Teulada, no sul da Sardenha.

Modelo russa morre na Itália
Modelo russa morre na Itália

Foto: Reprodução / Instagram / Ansa – Brasil

SAIBA MAIS

Galina Federova, ex-coelhinha da Playboy de 32 anos, estava em um bote inflável junto com o fotógrafo e teria feito uma pausa para nadar em um local próximo a uma base da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan). No entanto, a embarcação teve problemas com a âncora.

Durante interrogatório no Ministério Público de Cagliari, Taranovs foi incluído na lista de suspeitos e convidado a nomear um advogado. O caso é investigado como homicídio culposo.

As autoridades alegam que pode ter havido imprudência por parte do fotógrafo por não se certificar que o bote não estava ancorado no fundo do mar.

Em seu depoimento, Taranovos informou que, depois de mergulharem, os dois começaram a ver o barco se afastar ao ser empurrado pelas ondas. A corrente, segundo ele, era muito forte e eles não conseguiram alcançá-lo.

O britânico ainda explicou que foi encontrado por outro barco que navegava na área. Federova, por sua vez, não resistiu. As primeiras descobertas nas câmeras, telefones celulares e no drone apreendidos confirmam a versão do suspeito.

Espionagem –

Antes do depoimento, o tabloide “The Sun” chegou a informar que a polícia italiana estava investigando o caso como um possível acobertamento de uma missão de espionagem.

Segundo a publicação, a suspeita surgiu em decorrência da proximidade da dupla da base da Otan, considerada uma das mais importantes do Mar Mediterrâneo.

Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

Veja também: