Procurador dos EUA: “Não há evidência de fraude eleitoral”

O procurador-geral dos Estados Unidos, William Barr, é um dos principais aliados de Donald Trump

Presidente eleito dos EUA, Joe Biden, na sede da transição de governo em Wilmington, no Delaware
25/11/2020 REUTERS/Joshua Roberts

Presidente eleito dos EUA, Joe Biden, na sede da transição de governo em Wilmington, no Delaware 25/11/2020 REUTERS/Joshua Roberts

Foto: Reuters

O procurador-geral dos Estados Unidos, William Barr, é um dos principais aliados de Donald Trump

O procurador-geral dos Estados Unidos, William Barr, afirmou nesta terça-feira (1º) que o Departamento de Justiça não descobriu evidências de fraude eleitoral que mudaria o resultado da eleição presidencial de 3 de novembro, a qual o democrata Joe Biden saiu vitorioso.

SAIBA MAIS

“Até o momento, nós não vimos fraude em uma escala que pudesse levar a um resultado diferente nas eleições”, disse Barr em entrevista à agência de notícias Associated Press.

A declaração é dada apesar das repetidas alegações do presidente Donald Trump de que a eleição foi roubada e de sua recusa em reconhecer sua derrota no pleito.

Na entrevista, Barr explicou que os procuradores dos EUA e agentes do FBI têm trabalhado para acompanhar reclamações e informações específicas que receberam, mas não descobriram nenhuma evidência que mudaria o resultado da eleição.

Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

Veja também: