‘Não é possível fechar olhos’, diz Papa sobre trabalho infantil

Diante da situação, Francisco fez um apelo para renovar o compromisso internacional para eliminar esta escravidão infantil. "Vamos todos juntos renovar o esforço para eliminar esta escravidão de nossos tempos".
Alerta foi feito pelo Papa na praça São Pedro
Alerta foi feito pelo Papa na praça São Pedro

Foto: ANSA / Ansa – Brasil 

TNM/Ansa - Brasil

Francisco classificou a exploração de crianças como ‘escravidão’

Um dia após a celebração do “Dia Mundial contra o Trabalho Infantil”, o papa Francisco afirmou neste domingo (13) que é necessário eliminar essa “escravidão” do mundo contemporâneo e lamentou que o número de crianças exploradas “seja mais de 150 milhões, mais do que as populações da Itália, Espanha e França juntas”.

“Não é possível fechar os olhos perante à exploração das crianças, privadas do direito de brincar, de estudar e de sonhar”, alertou o Pontífice, após a recitação da oração do ângelus, perante centenas de fiéis na Praça São Pedro.

Jorge Bergoglio mostrou-se impressionado com o número de crianças exploradas no mundo e destacou que, segundo a Organização Internacional do Trabalho (OIT), “há mais de 150 milhões de crianças exploradas, mais do que os habitantes da Espanha, França e Itália”.

“Isso acontece hoje. Muitas crianças sofrem, exploradas pelo trabalho infantil”, lembrou.

Diante da situação, Francisco fez um apelo para renovar o compromisso internacional para eliminar esta escravidão infantil. “Vamos todos juntos renovar o esforço para eliminar esta escravidão de nossos tempos”.

Ontem (12), o líder da Igreja Católica já tinha alertado para o problema do trabalho infantil, através de um texto divulgado no Twitter.

“As crianças são o futuro da família humana: cabe a todos nós promover o seu crescimento, saúde e serenidade!”, escreveu, numa mensagem acompanhada pela hashtag #NoChildLabourDay.

De acordo com relatório da OIT e do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), nos últimos quatro anos, o número de crianças que trabalham aumentou em 8,4 milhões, elevando para 160 milhões a quantidade de menores que realizam alguma atividade laboral.

O estudo ainda alerta que os avanços para erradicar o trabalho infantil paralisaram pela primeira vez em 20 anos.

Ansa - Brasil  
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

Veja também: