5 dez, 2019
Sindpol protesta por reajuste do piso salarial e ocupa prédio da Seplag

Categoria critica o posicionamento omisso do governo do Estado e ameaça parar durante as festas de fim de ano

 TNM/Por Pâmela de Oliveira | Portal Gazetaweb.com  

Categoria se reúne em ato público em frente à Seplag

FOTO: PÂMELA DE OLIVEIRA

O Sindicato dos Policiais Civis de Alagoas (Sindpol/AL) realizou, nesta quinta-feira (5), um grande ato público em frente à Secretaria do Estado de Planejamento e Gestão (Seplag), para cobrar do Governo Renan Filho (MDB) proposta de reajuste do piso salarial. Além disso, a categoria ocupa o prédio da secretaria, situado no centro da cidade.

Segundo Ricardo Nazário, presidente do Sindpol, os policiais se frustraram diante das tentativas de se obter uma resposta da Seplag. O sindicalista apontou uma reunião marcada para a primeira semana de dezembro, o que não aconteceu.

Nela, seriam tratadas questões de reajuste de piso salarial, compensação financeira com aumento de carga de 30 para 40 horas, adicional de periculosidade, além de outras reivindicações. Inclusive, a categoria decretou, como último recurso, paralisar as atividades durante as festas de fim de ano.

“O governo do Estado deu 29% de aumento para os delegados da Polícia Civil, esquecendo os agentes e escrivães, e nós somos importantes para o ciclo da Segurança Pública. Estamos nos sentindo desprezados pelo governador Renan Filho, não vamos mais aceitar essa situação. Somos uma categoria de nível superior e não estamos sendo reconhecidos assim”, disse Nazário.

Sobre uma possível paralisação das atividades durante as festas de Natal e Ano Novo, o presidente do Sindpol disse que será o último recurso da categoria na procura por um diálogo com o governo.

“Estamos aqui alertando à sociedade para que não cheguemos ao ponto de paralisar durante as festas de fim de ano, mas, caso não haja avanço nas negociações ainda hoje, teremos que utilizar a paralisação como último recurso na busca por nossos direitos”, acrescentou.

Sindpol ocupa prédio da Seplag no centro da cidade

FOTO: Cortesia/Sindpol

A categoria segue unida e acredita numa mudança no cenário de descaso que vem sendo a realidade dos agentes da Polícia Civil (PC).

“Acreditamos que, com nossa luta e união, a gente consiga entrar em alguma acordo com o governo do Estado, porque, da forma que está, não podemos continuar. A categoria está defasada e desvalorizada, e isso precisa mudar”, externou Luiz Antônio, agente de polícia.

Leave a comment

XHTML: You can use these tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>