CRB apresentou Diego Torres e Magno Cruz

Diego Torres e o meia-atacante Magno Cruz vestiram a camisa e posaram para fotos na tarde passada. Os dois já estão regularizados na CBF.

Arivaldo Maia

Os dois já estão regularizados na CBF.

Diego Torres e Magno Cruz são apresentados pelo CRB — Foto: Maxwell Oliveira/ASCOM CRB

Diego Torres e Magno Cruz são apresentados pelo CRB — Foto: Maxwell Oliveira/ASCOM CRB

O CRB apresentou oficialmente mais dois reforços. Na loja do clube, o meia Diego Torres e o meia-atacante Magno Cruz vestiram a camisa e posaram para fotos na tarde passada. Os dois já estão regularizados na CBF.

O argentino Diego foi o último chegar no Ninho do Galo. Por causa da pandemia, ele ficou em Córdoba, na Argentina, e teve dificuldades para viajar ao Brasil.

O jogador se apresentou apenas na semana passada, mas logo entrou na briga por um lugar no time. Pelas características, é até o favorito para ser o substituto de Rafael Longuine, que sofreu uma grave lesão no joelho direito.

Diego jogou com um zagueiro do CRB na Chapecoense. Isso ajudou na adaptação em Alagoas.

– É mais simples, porque eu já conhecia o Gum. Os companheiros também me receberam muito bem em Alagoas. O elenco do CRB tem muita qualidade. Acho que esse ano vai dar tudo certo

O meia começou no Chacarita Juniors (ARG), tem 29 anos e está adaptado ao futebol brasileiro, o que é importante. Atuou na Chapecoense nas duas últimas temporadas e disputou a Série A do Brasileiro.

Em 2019, o argentino fez 25 partidas pela Chapecoense, deu três assistências e marcou dois gols. Ele é um bom batedor de faltas. Neste ano, atuou apenas duas vezes.

E o Magno?

Magno Cruz é uma opção mais ofensiva para o técnico Marcelo Cabo. O treinador foi campeão da Série B com o meia-atacante, em 2016, e sabe quais são as suas principais características.

Magno vê até semelhanças entre o Atlético-GO de 2016 e o CRB de 2020.

– Foi um ano muito especial. Tive a oportunidade de trabalhar com o professor Marcelo Cabo e vejo aquele grupo parecido com esse do CRB. É um campeonato muito longo, duro, mas vamos brigar também por esse acesso – comentou Magno.

Cabo informou ao GloboEsporte.com que pretende utilizá-lo mais pelos lados de campo, não como um armador. Assim, ele deve brigar por posição com Erik e Luidy.

Magno deixou o Brasil em 2017 e precisa se readaptar. Atuou na Coreia do Sul por três anos, no Jeju United, e estava no Umm-Salal, do Catar.

O meia nasceu em Salvador/BA, saiu da base do Cruzeiro e está hoje com 32 anos.

Blog com matéria do Globo Esporte/AL

Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

Veja também: