A recomendação, baseada em “inúmeras irregularidades” ocorridas durante a realização da prova, foi expedida para o Centro Brasileiro de Pesquisa em Avaliação e Seleção e de Promoção de Eventos (Cebraspe/Cepse), para o secretário de Estado do Planejamento e para o Comandante Geral do CBMAL.

Na notificação publicada no Diário Oficial do Estado desta sexta-feira, 09, o promotor destacou que os documentos presentes no Procedimento Preparatório demonstraram irregularidades capazes de comprometer a lisura do certame, realizado no dia 28 de outubro do ano passado.

Entre as irregulares citadas na recomendação, estão: ausência do sigilo da prova e o horário de aplicação da redação, já que o caderno de prova veio incompleto em razão da ausência de impressão da prova discursiva, “sem que fosse assegurado aos candidatos prejudicados tempo adicional para conclusão”.

O promotor determinou que, em um prazo máximo de dez dias, os órgãos envolvidos informem ao MP sobre as providências adotadas para o cumprimento da notificação recomendatória, sob pena de os envolvidos incorrerem na prática de ato de improbidade administrativa.

Provas e teste físico

No dia em que a prova de redação foi realizada, candidatos procuraram a imprensa para denunciar irregularidades na aplicação, a exemplo da ausência do tema na folha para a dissertação, que foi entregue posteriormente, em folhas avulsas e dentro de envelopes já abertos.

Mais de 3.300 candidatos disputaram as dez vagas para o cargo de oficial combatente e hoje foi realizada a última fase do Teste de Aptidão Física (TAF) para os aprovados nas outras fases do concurso para o CBMAL. No dia 15 de março deve ser divulgada a lista de aprovados no TAF.

Respostas

Por meio de nota, a Secretaria de Estado do Planejamento, Gestão e Patrimônio (Seplag) informou que todas as tratativas acerca do assunto estão sendo realizadas internamente pela equipe da pasta e completou: “É importante pontuar, no entanto, que qualquer mudança ou decisão que acarrete em alterações no certame serão divulgadas pelo Governo quando pertinente”.

Já a assessoria de Comunicação do CBMAL informou que o Comando só irá se posicionar sobre a recomendação após recebê-la oficialmente.