Empresários afirmam estar prontos e aguardam abertura do comércio no dia 1º

Membros de vários segmentos garantiram que trabalho será feito de forma responsável e seguindo todas as regras de prevenção à Covid-19

Economia

Setor produtivo se reúne para definir ações da reabertura gradual da economia
FOTO: Greyce Bernardino

Membros de vários segmentos garantiram que trabalho será feito de forma responsável e seguindo todas as regras de prevenção à Covid-19

TNM/Por Thiago Gomes e Greyce Bernardino

MATÉRIAS RELACIONADAS

Comércio fica pronto para reabrir e teme prorrogação de decreto pelo desemprego
Representantes do setor produtivo se reuniram, na manhã desta segunda-feira (29), na Associação Comercial de Maceió, no bairro do Jaraguá, em Maceió, para definir as medidas que o segmento pretende adotar na reabertura gradual da economia.

Os empresários dizem que, caso as lojas sejam autorizadas a funcionar já nesta semana, – visto que há esta expectativa -, estão prontos e o trabalho será feito de forma responsável e seguindo todas as regras de prevenção à Covid-19.

Dentre as adequações, está o uso obrigatório de máscaras, disponibilização de álcool em gel, assim como controle de entrada e distanciamento entre os clientes. Com isso, o setor torce para receber a autorização de reabertura a partir do dia 1º de julho.

O comércio de rua e os shoppings centers, por exemplo, são os mais interessados nesta flexibilização do isolamento social prevista pelo Governo de Alagoas.

Os estabelecimentos estão fechados desde o início das medidas de distanciamento, impostas pelo Estado, como prevenção ao avanço do novo coronavírus. São quase 100 dias de portas fechadas com efeitos devastadores.

Guido Júnior, da Aliança Comercial, disse não entender o motivo de só o comércio ser penalizado na quarentena

FOTO: Greyce Bernardino
O setor estima mais de 2,5 mil demissões e cerca de 300 lojas que faliram por não suportar tanto tempo sem funcionar. E o número pode aumentar, segundo o presidente da Aliança Comercial de Maceió, Guido Júnior. “Não entendemos por que só o comércio sofre nesta quarentena, quando supermercados, bancos, lotéricas e outros estabelecimentos estão abertos e cheios de gente”.

Guido revela que o setor deve demorar muito para se recuperar das perdas nefastas causadas pela pandemia, no prazo mínimo de oito meses. “Vínhamos numa retomada do comércio.

O varejo vinha crescendo mês a mês, e, aí, surge o coronavírus no meio do caminho. Estimamos que, em menos de 8 meses, o comércio não se recupere dos prejuízos deste período.

A situação está insustentável e, até, suicídio já aconteceu entre o empresariado”.
Logo ao abrir a reunião, o presidente da Associação Comercial de Maceió, Kennedy Calheiros, não escondeu a frustração das medidas do Governo para com o comércio/economia de Alagoas.

Para ele, não tem cabimento outros setores estarem funcionando normalmente, enquanto o comércio se mantém com as portas fechadas.

Kennedy Calheiros, da Associação Comercial, garantiu que o empresariado está pronto para a retomada gradual
FOTO: Greyce Bernardino

“Estamos trabalhando, junto aos nossos associados, para que, com a devida segurança que o período requer, a gente volte as atividades”, destacou Kennedy Calheiros.

Representantes dos shoppings também demonstraram preocupação, tendo em vista que os centros de compras só seriam autorizados a funcionar quando o Estado avançasse à fase amarela do protocolo sanitário de distanciamento social. Antes desta etapa, ainda há a laranja, permitindo a abertura somente de lojas de rua com até 400 metros quadrados, além de salões de beleza, barbearias e templos religiosos com capacidade de até 30% de lotação.

Os empresários deste ramo garantem que o ambiente nos shoppings é considerado mais seguro, em comparação com o comércio de rua, e dizem lamentar que a situação esteja acontecendo somente para atender a política. Eles sugeriram que, apenas, as lojas comerciais funcionassem, mas não foram atendidos.
Além da Associação Comercial e da Aliança Comercial, representantes da OAB/AL [Ordem dos Advogados do Brasil, seccional Alagoas], do sindicato dos lojistas, da associação dos shoppings e vários empresários participaram da reunião nesta segunda-feira.

Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

Veja também: