O papa Francisco cumprimenta a multidão em seu mini papamóvel, em Puerto Maldonado, em 19 de janeiro de 2018 – AFP

O papa Francisco, em visita nesta sexta-feira (19) à Amazônia peruana, deixou de lado seu tradicional papamóvel para embarcar em um nitidamente menor e rodar dentro da arena esportiva onde se reuniu com represantes de povos originários.

O incomum papamóvel, que mais parecia um carrinho de golfe verde adaptado para a ocasião, percorreu lentamente o interior da arena Madre de Dios, em meio a gritos, aplausos e sorrisos dos presentes, nesta zona fronteiriça com Brasil e Bolívia.

Uma vez no tablado, Francisco desceu do pequeno papamóvel enquanto o motorista estacionava ao lado. O Papa argentino subiu devagar para fazer seu discurso aos milhares de espectadores e receber uma saudação dos dirigentes nativos.

O representante da etnia awajún, Santiago Manuin, foi o primeiro a entregar a ele um presente de seu povo.

Sua presença não passou despercebida. Manuin se aproximou em uma cadeira de rodas na qual se encontra desde que ficou gravemente ferido durante os violentos protestos em Bagua, na região Amazonas (nordeste), em junho de 2009, quando tentava evitar que os manifestantes entrassem em confronto com a Polícia.

Nesse enfrentamento morreram 10 nativos e 23 policiais. Na época, o social-democrata Alan García governava o Peru.

Depois os representantes das etnias achuar, awajún, yine, e de outros povos originários amazônicos se aproximaram do tablado onde o Papa estava e leram discursos nas línguas nativas e em espanhol.

Uma vez terminada a cerimônia na arena, o Papa voltou a subir em seu pequeno veículo e percorreu a parte externa com o braço para o alto. Depois mudou de veículo e subiu no tradicional papamóvel branco para passar pela cidade rumo a um abrigo infantil.