16 abr, 2019
Funkeira Amanda Miury é exemplo de corpo violão

O corpo chapado, com musculatura toda evidente, não é bonito ao olhar masculino”

. Crédito: Reprodução

Abdômen trincado e pernas saradas, que nada! Cultuado desde o Renascimento, o corpo violão (ou ampulheta) voltou a ficar em evidência nas últimas semanas, quando circulou nas redes sociais um conceituado estudo científico sobre medidas do que seria uma silhueta perfeita. Realizado na Universidade do Texas, nos Estados Unidos, o trabalho diz que mulheres cujo tamanho da cintura dividido pelo do quadril dá 0,7 são mais atraentes do que as demais, justamente por manterem formas proporcionais e uma aparência mais feminina.

Mulheres com essa RCQ (relação cintura/quadril) são consideradas mais saudáveis pelos homens, já que a distribuição igualitária de gordura corporal seria um indicador de aptidão para gerar e criar filhos também saudáveis. Por representarem “parceiras reprodutivas da mais alta qualidade”, elas são mais desejáveis para relacionamentos de curta ou longa duração.

“O corpo violão atrai porque é natural. A harmonia é que chama a atenção. O corpo chapado, com musculatura toda evidente, não é bonito ao olhar masculino”, opina o endocrinologista Tercio Rocha.

Dona de 74 centímetros de cintura e 105 centímetros de quadril, a funkeira Amanda Miury, vocalista da “Jaula das Gostozudas”, é um exemplo de corpo perfeito, de acordo com a ciência.

“Fiquei felicíssima de me encaixar nesse perfil [RCQ = 0,7]. Toda mulher gosta de ser atraente!”, comemora a bela, de 25 anos.

Genética, dieta e malhação.
A assistente de palco do programa “Caldeirão do Huck”, da TV Globo, Luana Bandeira, 26, é outro exemplo de corpo ampulheta. Com 72 centímetros de cintura e 104 centímetros de quadril, a RCQ da dançarina é de 0,692 – arredondado, o número bate com o da pesquisa. “Nunca fui fã de academia, mas depois que entrei para o ‘Caldeirão’, senti necessidade de fortalecer os músculos, porque dança e salto forçam os joelhos. Treino três vezes na semana e evito alimentos ruins”, diz.

Atividade física e alimentação saudável, além de uma “mãozinha” da genética, são essenciais para quem quer se tornar uma mulher violão.

“O corpo perfeito é o que se pode atingir dentro da individualidade biológica de cada um. Para melhorar a RCQ, o treino deve combinar uma parte cardiorrespiratória com força, resistência e flexibilidade”, ensina o preparador físico Marcos Cordeiro.

“Cintura fina e bumbum grande chamam muito a atenção dos homens. Acho que a maioria tem essa paixão”, diz Luana, que prefere se manter “o mais natural possível”.

Segundo a psicóloga e sexóloga Ana Canosa, as brasileiras, hoje, tendem a valorizar um padrão de beleza com quadris mais estreitos (diferente do que é típico aqui) e bumbum maior – ou seja, mais volume atrás do que nos lados. “Por isso, há tantas lipoaspirações no culote e implantes de silicone no bumbum.” (AG)

Leave a comment

XHTML: You can use these tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>